domingo, 7 de março de 2010

Opostos e sem pudores


O ponto mais interessante do cenário eletrônico mundial talvez seja o de estar resgatando ritmos tradicionais, até folclóricos: o samba (Fernanda Porto),a bossa com drum'n'bass (Bebel Gilberto), a música celta (The Coors), o tango. Na versão eletrônica, esses ritmos têm ficado mais acessíveis às novas gerações, deixando de ser algo desconexo com a cena moderna e ainda estimulam novas produções efetivamente.
Quem iria imaginar, por exemplo, "Por Una Cabeza", um clássico de 1935, mais moderna do que nunca, acessível aos DJs em pistas de dança do mundo inteiro em pleno anos 2000?
Dois coletivos eletrônicos se destacam com o eletrotango, com produções altamente criativas e métodos opostos de trabalho: Natallia e The Eletronic Tango Band e Gotan Project (foto acima).
Enquanto o primeiro, mais enraizado, se apega em transportar clássicos para a modernidade, fazendo uma releitura com elementos eletrônicos, o segundo, mais ousado, produz novas e modernas músicas, usando elementos do tango, seguindo os passos do Bajofondo (outro coletivo de sucesso estrondoso, formado por uruguaios e argentinos). O que têm em comum? O fato de misturarem, sem pudor, instrumentos tradicionais do tango, como o bandoneón, com computadores e samplers.
Natallia surgiu em 1998 com o argentino Franco Natallia, que vive na Europa, e um grupo de amigos especializados em sintetizadores. Os caras estouraram em Ibiza (Espanha) e no norte da Itália. Dentre as leituras mais bacanas, estão "El LLorón", "El Choclo", "La Cumparsita", sem contar "Por Una Cabeza" de dois ícones do tango: Carlos Gardel e Alfredo Le Pera.
O Gotan Project surgiu um ano depois do Natallia, em 1999. Estamos falando de um projeto criado em plena cena parisiense, pelo francês Philippe Cohen Solal, o suíço Christoph Müller e, claro, o argentino Eduardo Makaroff. Apesar da multinacionalidade, o Gotan mantém o idioma originário do tango, o espanhol, em todas as suas produções. Vale a pena conferir "Lunático", "Diferente", "Arrabal" e, especialmente, a estonteante "Mi Confésion", todas no CD "Lunático" (2006).
Natallia é o velho tango reformado. Gotan uma nova construção, reaproveitando portas, janelas e dobradiças do tango.

Um comentário:

  1. Tenho os dois primeiros cds do Gothan. Gostei mais do segundo, que tem uns toques de outros ritmos... O Primeiro é bastante viajoso e eu num guento muito.

    bjos!

    ResponderExcluir