segunda-feira, 12 de abril de 2010

Living in Ecstasy


Finalmente no último sábado pude por as mãos no CD-DVD "Pandemonium" do Pet Shop Boys, que foi lançado em fevereiro em Londres, mas que só tem chegado às lojas brasileiras agora. Eu, que fui ao show em São Paulo, tinha certeza de que seria o melhor tour de Neil Tennant e Chris Lowe, o que vem se confirmando. Recentemente, eles anunciaram um prolongamento da tour em 2010, o que aparentemente não estava nos planos do duo. "Pandemonium" é tecnicamente arrojada, musicalmente talentosa. Cenários e figurinos futuristas à base de cubos, coreografias altamente criativas, quatro bailarinos impecáveis, projeções futuristas, um jogo potente com luzes e até chuva de papel picado margeiam o espetáculo de Tennant e Lowe. Nunca o PSB teve um show tão hight tech. Pandemonium superou as duas primeiras turnês que passaram pelo Brasil: "Discovery Tour"(1994) e "Fundamental Tour" (2007).
Mas, isso não é tudo. "Pandemonium", o DVD, teve uma qualidade de gravação efetivamente melhor do que a de "Night Life Tour", produzido no México. Imagens mais limpas, mais próximas, sem efeitos ou recortes, tudo em alta definição, nos trazem uma visão mais clara da performance de Lowe e Tennant.
Já do ponto de vista musical, o Pet Shop Boys parece ter criado uma solução para reaproveitar ao máximo seu repertório de 29 anos, em meio a tanta composição e tantos fãs de gerações diferentes. O jeito foi apostar do início ao fim de em mash-up, recurso que permite a fusão de duas músicas em uma só.
Por exemplo, logo na abertura, "Heart" (CD "Actually") vem com a introdução de "More Than a Dream" (CD "Yes", de 2009).
A música "Pandemonium" ("Yes") chega ao palco com uma introdução da velha "Can You Forgive Her" (do CD "Very", 1994) em ritmo de blues!
"Domino Dancing" (do CD "Introspective") molda a regravação de um trecho da belíssima "Viva La Vida", do Cold Play.
"Go West" (de "Very") vem com as batidas de "Paninaro".
Outra fórmula usada no show, essa sim já conhecida de outras turnês, foi a de voltar ao passado sem ficar preso a ele, reciclando sucessos mais do que consolidados como "Left To My Own Devices" (CD "Introspective", 1988), que ganhou uma roupagem maravilhosamente dançante.
Para quem é brasileiro ainda vale destacar o mimo de poder ver Tennant e Lowe executando "Se a Vida É", a única canção deles com uma frase em português, e ainda a novidade da vinheta que chama o Brasil nos jogos internacionais de futebol para a introdução de "Suburbia".
E dessa forma, quem ficar triste por não ver incluídas faixas incríveis como "King of Rome" ou "My October Simphony", dentre tantas músicas apaixonantes, poderá se divertir com novidades ao vivo como "Two Divided By Zero" ou "Do I Have To?", que normalmente não ficam fora do set list.
O show foi gravado no Arena O2, às vésperas do Natal de 2009, pouco depois da dupla ter retornado de sua passagem pela América Latina. Segue o trailler:

Nenhum comentário:

Postar um comentário